Termina campanha eleitoral em Moçambique

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Maputo, Moçambique • 25 de outubro de 2009

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Armando Guebuza, candidato presidencial da FRELIMO, partido no poder, terminou os 45 dias de campanha em Nampula, no norte do país, e o maior círculo eleitoral de Moçambique.

Daviz Simango, presidente do novo partido MDM e também candidato a Presidente da República, terminou a campanha na Beira, onde é presidente da Câmara e onde tem maiores apoios.

Afonso Dhlakama, da RENAMO, esteve domingo em Maputo.

Com 19 partidos e coligações a concorrerem às eleições de quarta-feira, a maior parte das formações vai acabar a campanha como começou, sem acções visíveis, mas FRELIMO, RENAMO e MDM vão aproveitar para mostrar todo o seu poder, para descansarem depois durante os dois dias de reflexão.

Depois de uma campanha que começou a 13 de setembro, segunda e terça-feira serão dias de reflexão, estando proibida qualquer actividade partidária, e, na quarta-feira cerca de 10 milhões de eleitores irão escolher, para os próximos cinco anos, o Presidente da República e os deputados à Assembleia da República e às assembleias provinciais.

A FRELIMO, partido no poder em Moçambique, minimizou o objectivo de uma “maioria absoluta” nas eleições gerais da próxima quarta-feira, mas manifestou-se confiante numa “vitória esmagadora”.

A FRELIMO, no poder em Moçambique desde a independência do país, tem sido acusada pelos seus adversários de tentar a todo o custo uma maioria absoluta, que lhe permita alterar a Constituição, para acomodar um terceiro mandato ao actual chefe de Estado e candidato presidencial do partido, Armando Guebuza.

Falando na conferência de imprensa de balanço dos 45 dias de campanha eleitoral, que termina hoje, o porta-voz da FRELIMO, Edson Macuácua, afirmou que o objectivo do partido “é fazer melhor do que nas anteriores eleições”.

“Não é nosso objectivo conseguir a maioria de dois terços. Temos falado em conseguir uma vitória esmagadora, mas nunca definimos nenhuma escala nos resultados que pretendemos”, sublinhou o porta-voz.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit