Sudão: militares reintegram líder deposto

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abdalla Hamdok, primeiro-ministro do Sudão

22 de novembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

No domingo, o exército sudanês reintegrou o primeiro-ministro deposto, Abdalla Hamdok, para liderar um governo civil de tecnocratas, após semanas de agitação desencadeada por sua derrubada.

Líderes civis e militares disseram que oficiais do governo e políticos presos desde o golpe no final de outubro serão liberados como parte do acordo entre os militares e os partidos políticos, incluindo o maior Partido Umma.

Hamdok vai liderar um gabinete tecnocrático independente, disseram as autoridades. Eles disseram que as Nações Unidas, os Estados Unidos e outros desempenharam “papéis cruciais” na elaboração do acordo.

O golpe atraiu críticas internacionais, com os EUA, seus aliados e os EUA condenando ataques a manifestantes anti-golpe.

Quando o acordo ficou conhecido em Cartum, a capital, as forças de segurança dispararam gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes enquanto se aproximavam do palácio presidencial. Pouco depois da assinatura do pacto, alguns gritaram: "Hamdok vendeu a revolução".

Hamdok disse que concordou com o acordo para impedir o derramamento de sangue.

"O sangue sudanês é precioso; vamos parar o derramamento de sangue e direcionar a energia dos jovens para a construção e o desenvolvimento", disse ele.

A Missão de Assistência Integrada à Transição da ONU no Sudão deu as boas-vindas aos recentes desenvolvimentos.

Fonte


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit