Starbucks vai contratar 10.000 refugiados nos próximos 5 anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência VOA

31 de janeiro de 2017

Cafetería Starbucks en agosto de 2012

Starbucks vai contratar 10.000 refugiados ao longo dos próximos cinco anos, em resposta à ordem do presidente Donald Trump para suspender o acolhimento de pessoas deslocadas da Siria e, temporariamente, proibir a entrada de cidadãos de outros seis países de maioria muçulmana.

Howard Schultz, chairman e CEO da cadeia do café, disse domingo, em uma carta aos funcionários que o plano vai cobrir toda Starbucks no mundo e que a medida poderia começar nos Estados Unidos, onde será dada preferência para contratação de imigrantes "que serviram para as tropas norte-americanas como intérpretes e pessoal de apoio.

Schultz, que apoiou a candidatura de Hillary Clinton durante a corrida presidencial, criticou outras políticas de Trump, como relacionadas com a imigração, a revogação da lei de saúde do ex-presidente Barack Obama e reestruturação do acordo de livre comércio com o México.

O executivo disse na carta que a Starbucks poderia ajudar os produtores de café no México, fornecer seguro de saúde para os trabalhadores nos Estados Unidos, se a lei de saúde for revogada, e apoiar um programa pro-imigrante da administração de Obama, que permite jovens que vieram para o país como as crianças se candidatar a licenças de trabalho e que protegê-lo de deportação por dois anos.

Schultz disse que a Starbucks vai procurar aumentar a comunicação com os seus trabalhadores e sublinhou que "estou ouvindo o alarme que todos vocês estão tocando de que os direitos humanos que assumimos como conquistado estão sendo violados."

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati