Somália cancela extensão de mandato presidencial de Farmajo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

1 de maio de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Os legisladores da Somália votaram pelo cancelamento de uma extensão do mandato presidencial que haviam aprovado no mês passado, numa ação que pode encerrar um impasse político.

A câmara baixa do Parlamento da Somália reverteu uma prorrogação de dois anos do seu mandato no sábado e do Presidente para aliviar a pressão interna e internacional que o instava a recuar da polémica resolução aprovada em 12 de Abril.

O Parlamento - respondendo a um pedido do Presidente Mohamed Abdullahi Mohamed, conhecido por Farmajo, apelando aos legisladores que restaurassem o acordo do ano passado entre o governo federal e os líderes de cinco estados-membros federais e o governador de Mogadíscio - votou por unanimidade pela reversão.

A mudança pode ajudar a neutralizar um impasse armado na capital Mogadíscio.

A decisão foi anunciada pelo presidente do Parlamento, afirmando que todos os 140 parlamentares presentes na reunião votaram "sim" ao acordo.

Falando perante o Parlamento pouco antes da votação, o Presidente Farmajo também prometeu entregar o processo eleitoral e a liderança da segurança do país ao primeiro-ministro Mohamed Hussein Roble.

"Quero deixar claro perante o Parlamento que entregarei o processo eleitoral e a liderança da segurança do país ao primeiro-ministro Roble, e peço que os políticos que diferem de nós trabalhem para o bem comum da nossa nação e do nosso povo", disse.

Durante o seu discurso, o Presidente disse que tomou a decisão num esforço para salvar o país de um retorno à guerra civil: “É inaceitável que nosso país volte ao mesmo caminho feio de 30 anos atrás. Optamos por resolver nossas diferenças entre nós, para que elementos estrangeiros não se aproveitem das nossas desavenças.”

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit