Sinprof exige pagamento dos subsídios

Agência VOA

Ministro Mpinda Simão admite que ao Governo cabe trabalhar no sentido de forçar a chegada da bonança, ultrapassada que foi a era da tempestade.

27 de novembro de 2014

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Depois de ter anunciado uma greve para Fevereiro de 2015, data prevista para o arranque do próximo ano lectivo, o Sindicato Nacional dos Professores (Sinprof) volta a pedir que o Governo solucione os problemas remuneratórios.

Em Benguela, palco do acto central do Dia do Educador, o presidente do Sinprof, Guilherme Silva, lembrou que os subsídios inscritos no decreto executivo conjunto não estão a ser cumpridos. Os recados do sindicalista foram dirigidos a altas figuras do Ministério da Educação.

O presidente da organização reivindica acertos de categoria e o pagamento de subsídios há muito aprovados. Com a discussão do OGE/2015 na ordem do dia, Guilherme Silva defende o aumento do bolo cabimentado para o sector da Educação.

Silva foi ovacionado pelos milhares de professores que acompanhavam o seu discurso. Aproveitaram a ocasião para lembrar ao ministro Mpinda Simão que os esforços direccionados a uma melhor qualidade de ensino coabitam com várias insuficiências nas suas escolas.

Em resposta, o ministro da Educação reconheceu o empenho dos professores enquanto agentes de transformações sociais. Quanto aos problemas apontados, Mpinda Simão admite que ao Governo cabe trabalhar no sentido de forçar a chegada da bonança, ultrapassada que foi a era da tempestade.

Fonte