Sinal verde para o início das obras da Usina Nuclear Angra 3

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

6 de julho de 2009

Rio de janeiro, Brasil

A prefeitura de Angra dos Reis, no litoral sul do fluminense, oficializou hoje (6) a licença de uso do solo para o início das obras de construção da Usina Nuclear Angra 3, na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto.

O presidente da Eletrobrás, José Antonio Muniz Lopes, disse, em entrevista à Agência Brasil, que a medida era o último grande passo necessário para viabilizar a obra. “Com essa licença, nós podemos dizer que estamos prontos para começar a enfrentar o ritmo de obras exigido para que Angra 3 possa entrar [em operação] na data que todos nós ansiamos”, afirmou.

A conclusão das obras da Usina Angra 3 está prevista para 2015. O presidente da Eletrobrás afirmou, contudo, que será feito um grande esforço para colocar a nova unidade em operação até dezembro de 2014. O investimento total estimado é de R$ 7 bilhões. “A Eletrobrás vai entrar com uma parte, nós vamos negociar o financiamento com bancos de fomento internacionais. E temos também o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)”, disse.

O alvará de licença número 108/2009 foi expedido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Angra dos Reis. A licença foi solicitada pela Eletronuclear, subsidiária da Eletrobrás, em agosto do ano passado.

O prefeito Tuca Jordão autorizou a emissão do alvará depois que a Eletronuclear se comprometeu a repassar à prefeitura, como compensação socioambiental, um total de R$ 150 milhões, que serão empregados ao longo da construção da usina, em projetos para a cidade. Mais R$ 167 milhões serão investidos pela estatal no município de Angra do Reis, em conjunto com outros parceiros.

Tuca Jordão esclareceu, em entrevista à Agência Brasil, que a prefeitura receberá da estatal cerca de R$ 25 milhões por ano, com os projetos sendo apresentados pelo município. “Nós teremos ingerência direta [na formulação de projetos] em cima de R$ 150 milhões”, informou.

O Hospital Municipal é o projeto número um para o prefeito. Com 180 leitos e uma unidade de tratamento intensivo para 20 pacientes, a obra está praticamente pronta. “Nós precisamos aportar mais recursos para equipar o hospital, para entregarmos no início do próximo ano. Saúde, educação, saneamento e meio ambiente levam 85% dos recursos”, afirmou.

Os técnicos da prefeitura vão trabalhar agora na elaboração dos projetos que serão apresentados à Eletronuclear. Tuca Jordão afirmou que serão abertos convênios com a estatal para cada projeto específico. “E aí, sim, se faz o repasse dos recursos para o município”.

Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati