Senador Romero Jucá deixa a liderança do governo no Senado do Brasil; Eduardo Braga é o novo líder

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

Romero Jucá em 2009.
Eduardo Braga em 2006.
Dilma Rouseff em 2011.

12 de março de 2012

Brasília, Distrito Federal, Brasil — O senador Romero Jucá (PMDB-RR) não será mais o líder do governo no Senado Federal. A informação foi confirmada pela assessoria do líder do PMDB na Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), no início da noite de hoje (12).

No lugar de Jucá, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) irá coordenar a base aliada da presidenta Dilma Rousseff no Senado. A decisão da presidenta foi comunicada a Renan Calheiros em reunião que durou cerca de uma hora e quarenta minutos no começo da tarde. A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, também participou do encontro.

Depois da reunião com Dilma, Calheiros comunicou a Jucá e Braga a troca na liderança do governo. Ainda de acordo com a assessoria do líder do PMDB, a principal função de Eduardo Braga na liderança do governo será unir o seu partido (a maior bancada do Senado) em favor das votações que interessam ao Planalto. A presidenta também pretende promover maior rotatividade nas lideranças no Congresso Nacional, mas ainda não foi especificado qual será a periodicidade em que ela fará mudanças.

Perguntado sobre o convite, Eduardo Braga não quis confirmar que assumirá a liderança. Em respeito a Romero Jucá, o senador disse que preferia não comentar o assunto. “Acho que o líder Romero Jucá é um grande líder, um grande companheiro que ficou na liderança durante muito tempo. Ele merece todo o meu respeito e toda a minha consideração”, disse Braga após a reunião com Calheiros.

Apesar disso, o senador amazonense confirmou que está disposto a liderar a base aliada no Senado. “Se a presidenta da República entender que eu posso prestar um serviço ao Brasil e ao governo, aqui [no Senado], eu terei o maior prazer em servir ao Brasil e ao governo fazendo um bom serviço para o povo brasileiro. Mas eu não posso falar sobre o assunto porque não é hora de falar sobre o assunto”, disse.

Na última semana, o governo sofreu na última semana a sua maior derrota no Senado desde a posse da presidenta Dilma Rousseff no ano passado. A base governista insatisfeita com as relações que vem tendo com o Planalto rejeitou a indicação presidencial para a recondução de Bernardo Figueiredo para a Diretoria-Geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A presidenta Dilma Rousseff havia indicado Bernardo Figueiredo para ser reconduzido à Diretoria-Geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), mas a maior parte dos senadores votou contra e a indicação foi rejeitada.

As justificativas para os votos contrários à indicação foram, principalmente, as reclamações constantes do PMDB por causa da falta de espaço do partido no governo. Outros partidos da base também estão em crise com o governo em razão das mudanças ministeriais promovidas pela presidenta. A derrota foi um sinal da insatisfação da base aliada com o Planalto.

O PMDB, partido de Jucá e Braga, está especialmente contrariado com a forma como vem sendo tratado pelo governo. Os peemedebistas reclamam por mais espaço no Poder Executivo, que vem sendo conduzido prioritariamente pelo PT. Parlamentares insatisfeitos chegaram a levar uma carta ao vice-presidente da República e ex-presidente do PMDB, Michel Temer.

Renan Calheiros não quiseram falar com a imprensa. A expectativa é que a decisão da presidenta Dilma Rousseff seja anunciada pelos dois nos próximos dias.

Reações[editar]

O senador Romero Jucá negou por meio de nota oficial que tenha deixado a liderança do governo no Senado hoje. O anúncio sobre a troca de Jucá por Braga no cargo foi feito no início desta noite pela assessoria de imprensa do líder do PMDB no Senado, Calheiros.

Jucá, no entanto, nega que tenha sido comunicado oficialmente pela presidenta Dilma Rousseff sobre o assunto e usou o microblog Twitter e nota oficial à imprensa para dizer que permanece na liderança. “O senador só se posicionará a respeito do assunto caso tal informação seja oficializada pelo Palácio do Planalto. E que até o momento, em função disso, o senador Jucá continua líder da presidente Dilma Rousseff”, diz a nota distribuída pela assessoria do senador.

Braga também não confirmou que recebeu o convite para assumir a liderança no Senado, mas disse que está disposto a comandar a base aliada. A expectativa é que Jucá, Braga e Renana Calheiros falem à imprensa oficialmente nos próximos dias.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati