Segundo dia do Enem tem 32% de abstenção e 580 candidatos eliminados

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de novembro de 2017

O segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, ocorrido neste domingo (12), teve 32% de abstenção – foram 2,1 milhões de candidatos ausentes, com 6,7 milhões de inscrições confirmadas.Esse é o maior índice de abstenção desde 2009, quando foram registradas 37,7% de ausência. Os candidatos responderam hoje questões de matemática e ciências da natureza (química, física e biologia).

No total, 580 pessoas foram eliminadas no segundo dia, sendo que 578 foram por descumprimento das regras gerais do edital e duas por recusa da coleta do dado biométrico. No primeiro dia, foram 273 eliminações, somando 853 no total. Em 2016, o exame teve 3.942 eliminações ao final do primeiro dia e 4.780 no segundo..

No primeiro dia de prova, foi registrada uma abstenção de 29,8%, com cerca de 2 milhões de candidatos faltosos. No ano passado, a abstenção média nos dois dias de Enem foi de 29,19%.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, classificou esta edição como a mais tranquila aplicação do Enem nos últimos anos, com pouquíssimas ocorrências. Na avaliação dele, o índice de abstenção está dentro da média.

“Historicamente, o primeiro dia tem menos abstenção do que o segundo dia. É um dado que repete um comportamento padrão em exames anteriores. Não vejo isso como uma grande novidade”, disse. Ele lembrou que, a partir deste ano, o participante isento do pagamento da taxa de inscrição do Enem que não compareceu às provas e não justificar a ausência perderá o direito a nova isenção no ano que vem.

O ministro anunciou ainda que, em 2018, a inscrição no Enem será gratuita para todos os candidatos que forem aprovados no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), que será aplicado no próximo domingo (19).

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com