Sarney vai cortar 500 cargos no Senado do Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

Agência Brasil

Brasília, Distrito Federal, Brasil • 24 de setembro de 2009

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), anunciou hoje (24) que vai extiguir 500 cargos da estrutura da Casa, mas ainda não deu detalhes da medida. A Mesa Diretora se reúne ainda pela manhã, e o assunto deve entrar em pauta. A notícia foi antecipada pela imprensa na noite de ontem.

A Fundação Getulio Vargas (FGV) recomendou no mês passado corte de 85% nas diretorias e de 46% nas chefias. Com a medida, pretende-se economizar R$ 376 milhões por ano.

A auditoria feita pela FGV começou em maio, depois de denúncias de contratação irregular de funcionários, inclusive por meio de atos secretos, o que gerou uma crise e a consequente exoneração de diretores da Casa.

Porém, em agosto, os senadores aliados aos esquemas de Sarney e do presidente Lula, decidiram rejeitar as sete denúncias, contrariando a opinião pública brasileira.

Antes, durante e depois da crise do senado, aconteceram diversos protestos em diversas cidades brasileiras, através convorcação na internet, pricipalmente pelo Twitter #forasarney, contra a permanência de Sarney na presidência do Senado. O mais recente dos protestos, foi no dia 7 de setembro, dia da das comemorações da Independência do Brasil de Portugal em 1822.

Fonte