Sarney rebate nova denúncia e compara Estadão a tablóides sensacionalistas ingleses

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

17 de agosto de 2009

Brasília, Distrito Federal, Brasil


O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu-se da denúncia de que teria ligações irregulares com empreiteiras do setor elétrico e inclusive se hospedaria, em São Paulo, em um imóvel pertencente à construtora Holdenn Construções, Assessoria e Consultora Ltda. Sarney afirmou que o imóvel foi comprado há 30 anos e que a denúncia faz parte de uma campanha do jornal O Estado de S. Paulo contra ele.


Cquote1.png

Conheci O Estado de S. Paulo como um dos dez maiores jornais do mundo. A última viagem que o doutor Júlio de Mesquita [fundador do jornal] fez ao Norte foi a meu convite. Foi ao Maranhão, em 1967. Contudo, é com grande tristeza que o vejo hoje, depois de uma decadência e de terceirar sua redação, sua consciência e sua responsabilidade.

Cquote2.svg
afirmou Sarney




Matéria publicada hoje (17) pelo jornal afirma que senadores querem investigar a “conexão da família de Sarney com a construtora Holdenn, cujo principal nicho de negócios é o setor elétrico, área em que o senador exerce influência”.

A reportagem mostra que dois dos três apartamentos ocupados pela família na Alameda Franca, na região dos Jardins, em São Paulo, estão em nome da empresa, antes batizada de Aracati Construções, Assessoria e Consultoria Ltda.

"Há mais de 30 anos uso esse imóvel”, defendeu-se Sarney. O presidente do Senado disse que comprou o imóvel, ainda em construção, para que seus filhos pudessem ficar na época em que eles fazia faculdade em São Paulo. “Não tenho nada. Meus filhos se defenderão por eles mesmos”, acrescentou o peemedebista. Ele informou ainda que um dos seus filhos comprou outro apartamento no mesmo prédio, com a finalidade de hospedar os netos que estudam no estado.

“O Estado de S. Paulo se transformou de um jornal para um tablóide londrino, que busca escândalos para vender. A minha impressão é de quando vejo o jornal é de um velho de fraque e de brincos. É de uma irresponsabilidade de tamanha grandeza que não possa acreditar que um jornal posso dizer isso”, afirmou Sarney.

Em seu discurso, o presidente do Senado afirmou que O Estado de S. Paulo age contra ele de forma nazista. "Uma campanha contra mim, uma prática nazista de denegrir a honra e a dignidade foram levados os judeus às câmaras de gás."

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati