SIDA no Cunene causa apreensão em Angola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Taxa de adesão ao tratamento é superior a 80 por cento.

1 de dezembro de 2014

Os níveis de infecção de VIH-SIDA em Angola continuam a ser baixos.

As estimativas da ONU feitas em 2013 indicaram que na idade entre os 15 e 49 anos cerca de 2,5 por cento da população está infectada com o vírus ou tèm a doença. Essa percentagem pode ir até 3,2 por cento, não considerada alta quando outros países de África Austral como África do Sul ou Moçambique.

Uma das províncias mais afectadas, contudo, é o Cunene onde os níveis de sero prevalência por VIH-SIDA são altos.

Segundo dados oficiais, 20.675 casos positivos é o número de portadores da doença das 277.202 pessoas testadas até ao momento. Deste número destacam-se 5.464 mulheres grávidas e 862 crianças.

A doença preocupa alguns habitantes na zona fronteiriça da Santa Clara que disseram à VOA estarem preocupados com o numero de casos, principalmente em Santa Clara.

As autoridades sanitárias do Cunene reconhecem por um lado que os números de casos de VIH-SIDA são preocupantes, mas admitem melhorias no aumento dos serviços disponíveis para os doentes.

O chefe do departamento provincial de saúde pública Félix Belarmino realça a diminuição das taxas de abandono ao tratamento.

“A gente vai muito por aqueles que conseguem aderir ao tratamento e aí estamos nos 80 e tal por cento que aderem ao tratamento, quer dizer que a nossa taxa de abandono está a baixar cada vez mais porque estamos a levar as unidades com tratamento mais próximo das populações”, acrescentou aquele responsável.

Assinala-se hoje, 1 de Dezembro, o Dia Internacional de Luta contra o SIDA.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati