Romeu Tuma, Efraim Moraes e Agaciel Maia serão ouvidos pela Polícia do Senado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

2 de maio de 2009

Brasília, DF, Brasil

Os senadores Romeu Tuma (PTB-SP) e Efraim Moraes (DEM-PB), além do ex-diretor geral da Casa, Agaciel Maia, passarão a integrar o processo de investigação conduzido pela Polícia do Senado que apura desvios de recursos nos contratos com instituições bancárias para concessão de empréstimo consignado. O diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Araújo Carvalho, informou à Agência Brasil que as acusações do ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi, de que Agaciel Maia seria sócio das empresas que prestam serviço terceirizado “abrem uma nova vertente” nas investigações.

A declaração de Zoghbi e da esposa dele, Denise, foi feita à revista Época que circula neste fim de semana. Nela, o casal afirma que as irregularidades estariam em contratos de diferentes setores como comunicação social, transporte, segurança e taquigrafia. Eles insinuam, ainda, a participação de dois senadores que já comandaram a 1º Secretaria da Casa, a quem Agaciel Maia era subordinado: Tuma e Efraim Moraes.

“Todo mundo que está citado mais cedo ou mais tarde terá que ser ouvido. Apesar de terem [os senadores Tuma e Efraim Moraes] foro privilegiado eles também serão ouvidos”, afirmou Pedro Ricardo Araújo. Acrescentou que vai cobrar de Zoghbi a apresentação de provas de todas as acusações feitas na entrevista que deu à Revista Época.

“Quando formos ouví-lo vamos pedir as provas do que ele falou à Época. Ninguém é louco de fazer uma acusação dessas sem ter provas”, disse o diretor. A Polícia do Senado trabalha ainda no levantamento dos documentos sobre a forma como foram feitos os contratos com as instituições bancárias para saber o mecanismo de funcionamento do esquema administrado por João Carlos Zoghbi.

O diretor da Polícia do Senado pretende iniciar, já na próxima semana, a fase de depoimentos começando pelos jornalistas da revista responsáveis pelas apurações das matérias veiculas. Segundo o diretor, o objetivo é saber como foi realizada a apuração e quais documentos os jornalistas poderão apresentar.

Na segunda-feira, o diretor vai reunir-se com os responsáveis pela investigação para analisar de que forma a Polícia do Senado atuará a partir das denúncias feitas por João Carlos Zoghbi. Além disso, todos os gestores de contratos de concessão de empréstimo consignado serão ouvidos.

Fonte