Rodrigo Pacheco reafirma importância da vacinação em massa

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Rodrigo Pacheco

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, abriu a sessão temática desta terça-feira (23) defendendo a importância da vacinação contra a covid-19. O debate, realizado de forma remota, foi uma sugestão da senadora Rose de Freitas (MDB-ES) e de outros senadores, com o objetivo de debater o fornecimento de vacinas no Brasil (RQS 896/2021). Pacheco disse que a vacinação é um assunto que desperta o interesse de todo o Senado e que precisa de esclarecimentos.

— Vacinação é uma estratégia coletiva, é um pacto coletivo. Nunca antes em nossas vidas podemos entender tão bem o significado dessa máxima — declarou Pacheco.

De acordo com o presidente, “a pergunta que assombra a todos é em que data teremos toda a população brasileira vacinada”. Ele alertou que o vírus vem sofrendo mutações e que a doença de 2021 não é a mesma de 2020. Estar vacinado, acrescentou Pacheco, não significa necessariamente ter proteção contra as novas cepas. Segundo ressaltou o senador, a única maneira de romper esse ciclo é a vacinação em massa, aliada ao distanciamento e às medidas de higienização e proteção. Ele ainda lamentou o fato de apenas cerca de 5% da população já estar imunizada — o que traz graves reflexos na economia e no setor de saúde, que já se encontra em seu limite.

Pacheco afirmou que a sessão de debates é importante para dar respostas aos senadores. Ele apontou que questão de fundo é a saúde pública, mas outros assuntos, como isonomia e equilíbrio financeiro, também fazem parte da preocupação do Senado. Conforme afirmou o presidente, o poder público, sozinho, não está conseguindo fornecer as respostas necessárias. Ele ainda destacou a lista de convidados, com representantes de fornecedores de vacina, tanto do setor público como do privado.

— Esta sessão de debates temáticos é uma das mais aguardadas e vai impactar a agenda legislativa, pois a maioria dos temas dos projetos estão relacionados à covid-19 — destacou Pacheco.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit