Rios e lagos chineses transbordando perigosamente com as cheias do verão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

13 de julho de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Inundações em todo o centro e leste da China deixaram mais de 140 pessoas mortas ou desaparecidas e estão inchando os principais rios e lagos a níveis recordes, com autoridades alertando que o pior ainda está por vir.

O marco zero do coronavírus de Wuhan, através do qual o rio Yangtze serpenteia, está em uma lista crescente de centros populacionais, observando cautelosamente os níveis do rio na cidade de 11 milhões atingirem o terceiro mais alto da história e devem aumentar ainda mais, de acordo com a mídia controlada pelo estado.

As inundações no verão são um flagelo anual desde os tempos antigos, tipicamente focadas na vasta e densamente povoada bacia de Yangtze, que drena a China central.

As fortes chuvas quase contínuas desde o final de junho inundaram vastas áreas, deixando 141 pessoas mortas ou desaparecidas até agora, afetando 37,89 milhões e destruindo 28 mil casas, de acordo com os registros do governo central.

Trinta e três rios atingiram níveis recorde e alertas foram emitidos em um total de 433 rios, disseram autoridades do Ministério de Recursos Hídricos durante uma reunião em Pequim na segunda-feira (13).

Fontes