Resultados parciais indicam vitória do governo na eleição presidencial em Angola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

1 de setembro de 2012

Angola — O Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA), partido do atual presidente José Eduardo dos Santos, conseguiu quase 75% dos votos apurados até o momento nas eleições presidenciais.

Conforme resultados parciais divulgados hoje (1º), com quase 60% dos votos apurados após a eleição de sexta-feira, o MPLA está à frente do principal partido de oposição, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), que obteve 18%.

Se o resultado for confirmado, José Eduardo dos Santos, que ocupa a Presidência há mais de 30 anos, será eleito para mais um mandato. Analistas já previam a vitória do partido do governo. Na eleição anterior, o MPLA conseguiu 80% dos votos.

A eleição, a terceira desde 1975, quando o país tornou-se independente de Portugal, transcorreu em um clima relativamente calmo, apesar de alguns eleitores reclamarem de irregularidades e desorganização.

Mais 30 anos no poder

José Eduardo dos Santos está na Presidência desde 10 de Setembro de 1979 (ou seja, há quase 33 anos), quando o antecessor Agostinho Neto, que estava na Presidência desde a Independência em 11 de Novembro de 1976, morreu em Moscovo, na União Soviética (hoje Rússia) está na entre os atuais chefes de estados e governos com mais tempo no poder.

José Eduardo é o quarto presidente ainda no poder na África, perdendo apenas para Paul Biya do Camarões (desde 30 de junho de 1975, inicialmente como primeiro-ministro e depois presidente, com 37 anos no poder); Mohamed Abdelaziz da República Árabe Democrática Saaraui (RADS), país que luta pela independência em relação ao Marrocos (desde 30 de agosto de 1976, com 36 anos) e Teodoro Obiang Nguema Mbasogo do Guiné Equatorial (desde 3 de agosto de 1979, com 33 anos); Abdelaziz e Obiang desde início dos mandados foram presidentes.

Já em comparação apenas em países lusófonos, é o segundo mais antigo dirigente no poder, perdendo apenas para António de Oliveira Salazar de Portugal (de 5 de Julho de 1932 até 25 de Setembro de 1968), quando era Presidente do Conselho de Ministros, antigo cargo equivalente ao primeiro-ministro, embora tenha acumulado outros cargos, como Ministro das Finanças e Presidente interino da República com 36 anos no cargo de primeiro-ministro, morrendo em 1970.

Caso os resultados oficiais se confirmarem, José Eduardo irá cumprir o terceiro mandado até 2017, quando completará 38 anos na presidência e ultrapassará o antigo mandatário Salazar e será o mandatário lusófono mais tempo no poder, perdendo apenas os africanos Muammar al-Gaddafi (ou Muamar Kadafi) da Líbia, que ficou 42 anos no poder (1 de setembro de 1969 a 20 de outubro de 2011) até ser derrubado e morto (em meio à protestos na Primavera Árabe, repressão violenta que gerou Guerra Civil, incluindo a intervenção da OTAN); Omar Bongo do Gabão que ficou 41 anos no poder como presidente até a morte (2 de dezembro de 1967 à 6 de maio de 2009).

Fonte