Representantes do governo golpista e do governo deposto retomam as negociações em Honduras

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

19 de outubro de 2009

Os representantes do governo deposto de Honduras começam a chegar ao hotel Clárion, onde, há duas semanas, ocorrem as reuniões que podem dar fim ao impasse político no país. Segundo eles, o governo golpista de Roberto Michelleti deve mandar uma proposta por escrito à uma da tarde, hora local (17h em Brasília), para ser discutida entre os dois lados.

Os negociadores do presidente deposto, Manuel Zelaya, querem que o Congresso decida sobre a volta dele à presidência.

O ministro da Indústria e Comércio do governo deposto, Fredis Serrato, alega que essa é a forma mais democrática, mas acha que no fundo, a intenção do governo de Michelleti é protelar as negociações até as eleições de novembro.

“O que o presidente golpista, Roberto Micheletti, quer é deixar que o pleito ocorra sem a volta de Zelaya, como se nada tivesse ocorrido. No fundo, ele tem uma má intenção: que, amparado em Zelaya, o povo hondurenho rechace as eleições e ele fique mais tempo no poder”, argumenta Serrato.

Do outro lado, os representantes do governo golpista, contrários ao retorno de Manuel Zelaya ao cargo, querem a Suprema Corte, que foi parte ativa no golpe de estado, decida a questão.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati