Reino Unido prende três homens acusados de envio ilegal de lixo para o Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

23 de julho de 2009

Três homens foram presos hoje (23) no Reino Unido sob acusação de envolvimento no envio ilegal de 99 contêineres de lixo para o Brasil. Oficiais da Agência Nacional Britânica Contra Crimes Ambientais, com a ajuda da polícia de Wiltshire, prenderam os acusados na região de Swidon, a cerca de uma hora e meia de Londres. A pena máxima, caso eles sejam condenados, é de até dois anos de reclusão ou pagamento de multa.

Segundo o porta-voz da Agência Britânica de Meio Ambiente, Stuart Brennan, a identidade dos acusados - assim como a nacionalidade deles - não pode ser divulgada porque a investigação ainda não foi concluída. "Não podemos divulgar nada mais detalhado sobre os homens por razões legais, mas teremos novas informações em breve", disse Brennan à Agência Brasil. Segundo nota veiculada no site da agência, os homens têm 24, 28 e 48 anos, respectivamente.

As autoridades britânicas pretendem investigar a carga dos contêineres quando eles voltarem ao Reino Unido. As empresas que enviaram o lixo do Reino Unido para o Brasil concordaram em repatriar os detritos sem cobrar nada de nenhum dos dois governos.

De acordo com a chefe do Departamento de Gerenciamento de Lixo e Resíduos da Agência de Meio Ambiente, Liz Parkes, as prisões de hoje "marcam um significativo processo nas investigações de exportação de lixo ilegal para o Brasil". "Não vamos hesitar em processar qualquer companhia ou indíviduo que tenha violado as leis de exportar lixo", completou.

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) informou às autoridades do Reino Unido que dentro dos contêineres foram encontradas bolsas de sangue, fraldas descartáveis, seringas, camisinhas usadas e restos de comida.

Hoje, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, estará no Porto de Santos para acompanhar a vistoria do Ibama e lacrar os contêineres para serem devolvidos ao Reino Unido.



Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati