Reino Unido prende três homens acusados de envio ilegal de lixo para o Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

23 de julho de 2009

Três homens foram presos hoje (23) no Reino Unido sob acusação de envolvimento no envio ilegal de 99 contêineres de lixo para o Brasil. Oficiais da Agência Nacional Britânica Contra Crimes Ambientais, com a ajuda da polícia de Wiltshire, prenderam os acusados na região de Swidon, a cerca de uma hora e meia de Londres. A pena máxima, caso eles sejam condenados, é de até dois anos de reclusão ou pagamento de multa.

Segundo o porta-voz da Agência Britânica de Meio Ambiente, Stuart Brennan, a identidade dos acusados - assim como a nacionalidade deles - não pode ser divulgada porque a investigação ainda não foi concluída. "Não podemos divulgar nada mais detalhado sobre os homens por razões legais, mas teremos novas informações em breve", disse Brennan à Agência Brasil. Segundo nota veiculada no site da agência, os homens têm 24, 28 e 48 anos, respectivamente.

As autoridades britânicas pretendem investigar a carga dos contêineres quando eles voltarem ao Reino Unido. As empresas que enviaram o lixo do Reino Unido para o Brasil concordaram em repatriar os detritos sem cobrar nada de nenhum dos dois governos.

De acordo com a chefe do Departamento de Gerenciamento de Lixo e Resíduos da Agência de Meio Ambiente, Liz Parkes, as prisões de hoje "marcam um significativo processo nas investigações de exportação de lixo ilegal para o Brasil". "Não vamos hesitar em processar qualquer companhia ou indíviduo que tenha violado as leis de exportar lixo", completou.

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) informou às autoridades do Reino Unido que dentro dos contêineres foram encontradas bolsas de sangue, fraldas descartáveis, seringas, camisinhas usadas e restos de comida.

Hoje, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, estará no Porto de Santos para acompanhar a vistoria do Ibama e lacrar os contêineres para serem devolvidos ao Reino Unido.



Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati