Reino Unido investirá 20 milhões de libras para aumentar a fabricação de medicamentos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A capacidade do Reino Unido de responder a futuras pandemias será fortalecida graças a um novo fundo de 20 milhões de libras, o Medicines and Diagnostic Manufacturing Transformation Fund, para expandir a fabricação de medicamentos. O fundo foi anunciado ontem, 29 de novembro.

O primeiro-ministro Boris Johnson disse que esse "fundo aumentará significativamente a capacidade e resiliência de nossas cadeias de fabricação de medicamentos e diagnósticos e nos equipará para combater futuras crises de saúde. Durante a pandemia [de Covid-19], vimos a união da indústria científica britânica e da inovação, e esse novo fundo aumentará ainda mais as capacidades de fabricação no Reino Unido".

Segundo o governo britânico, a iniciativa abrirá oportunidades de investimento para fabricantes de medicamentos na Inglaterra, Escócia e País de Gales, melhorando a cadeia de suprimento de medicamentos, criando milhares de empregos e colocando as empresas do Reino Unido à frente dos concorrentes globais na fabricação de medicamentos avançados, ao mesmo tempo que as ajudará a atender às futuras necessidades de saúde.

O governo também estima que o fundo incentive as empresas a desenvolver novas tecnologias e construir novas fábricas.

O fundo será administrado pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial e estará disponível para as empresas, qualificadas e aprovadas, no ano que vem.

Fonte

Royal Coat of Arms of the United Kingdom.svg

Nota: a não ser quando expresso em contrário, o Governo do Reino Unido (Gov. UK) licencia seus dados de acordo com a Open Government Licence, que permite "copiar, publicar, distribuir, transmitir e adaptar as informações, comercialmente e não-comercialmente", mediante "reconhecimento da fonte das informações".

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com