RENAMO pede que Afonso Dhlakama seja declarado herói nacional

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de outubro de 2020

A RENAMO voltou a propor que o seu fundador e líder histórico Afonso Dhlakama seja declarado herói nacional, uma proposta vista com bons olhos pelo MDM, enquanto a FRELIMO diz que o assunto deve ser tratado na Comissão Nacional de Títulos Honoríficos da Assembleia da República.

A proposta foi feita, outra vez, por Viana Magalhães, chefe da bancada parlamentar da RENAMO.

“Na verdade, quiçá fruto do reconhecimento da justeza da luta da RENAMO, assistimos algumas personalidades a serem condecoradas, algumas das quais outrora ligadas à RENAMO, mas o presidente Afonso Dhlakama em vida sempre disse que a maior condecoração que podia receber era a de ter o seu povo com a liberdade de eleger e ser eleito de forma democrática”, afirmou Magalhães.

Este posicionamento foi corroborado por Fernando Bismarque, porta-voz da bancada parlamentar do partido Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

Bismarques considerou que “é preciso reconhecer a contribuição de Afonso Dhlakama na conquista da democracia, até porque, independentemente dos meios usados, pelo menos Dhlakama forçou que saíssemos de um regime mono para multipartidário, então é preciso reconhecer o contributo de Dhlakama”.

Já para o porta-voz da Frelimo, Caifadine Manasse, é um assunto que deve ser analisado ao nível da Comissão Nacional de Títulos Honoríficos e caso chegue ao Parlamento será devidamente analisada.

“Existe uma lei e uma comissão que trata esses assuntos, como a Renamo diz que vai submeter uma proposta à Assembleia da República para a apreciação, nós vamos apreciar ao nível da Assembleia da República”, prometeu Manasse.

Desconhece-se por agora quando a RENAMO pretende apresentar a proposta ao Parlamento.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com