Rússia realiza ataque com mísseis perto da fronteira polonesa

Fonte: Wikinotícias

13 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Uma das maiores bases de treinamento militar da Ucrânia, localizada a 25 quilômetros da fronteira polonesa, no oeste do país, foi atingida por mísseis russos em um ataque que deixou 35 mortos e 134 feridos, segundo autoridades ucranianas.

A base em Yavoriv fica a apenas 60 quilômetros de Lviv, um importante centro para os refugiados ucranianos que se dirigem para a Polônia. Ele também foi usado por instrutores militares da Otan, mas autoridades ucranianas dizem que ainda estão tentando estabelecer se alguém estava no local do ataque e ficou ferido.

O ataque ao Centro Internacional de Manutenção da Paz e Segurança é o ataque mais ocidental da Rússia até agora e aumenta os temores de que Lviv possa em breve se envolver no conflito. Mais de uma semana atrás, as agências de inteligência dos EUA temiam que a Bielorrússia, aliada da Rússia e palco para a invasão russa de seu vizinho, pudesse lançar suas tropas na guerra e lançar ataques ao noroeste e centro da Ucrânia, colocando em risco Lviv. Até agora, a Bielorrússia não entrou diretamente no conflito e o ataque ao centro de treinamento foi um ataque russo. Mas as autoridades americanas e europeias continuam preocupadas com a Bielorrússia.

Além disso, a avaliação da inteligência era que Lviv não deveria ser considerada um terreno seguro. Mensagens enviadas a ONGs e projetos financiados pelos Estados Unidos e extraídas da avaliação de inteligência alertavam: “As cidades do Ocidente não são mais consideradas seguras”. Funcionários de ONGs que ainda estão na Ucrânia foram aconselhados a deixar Lviv e buscar abrigo em vilarejos fronteiriços, menos propensos a serem alvos de mísseis.

O governador local da região de Lviv disse que 30 mísseis atingiram o centro de treinamento militar. Mas funcionários do governo central estimaram que oito mísseis atingiram a base. “Os ocupantes lançaram um ataque aéreo ao Centro Internacional de Manutenção da Paz e Segurança. De acordo com dados preliminares, eles dispararam oito mísseis”, disse Anton Mironovich, porta-voz das Forças Armadas da Ucrânia.

O ataque a Yavoriv está sendo visto por alguns diplomatas ocidentais como uma mensagem que reforça um alerta emitido no sábado pelo vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, que disse que os comboios de armas ocidentais para a Ucrânia agora são considerados por Moscou um "alvo militar legítimo".

Nos últimos dias, houve um aumento nos ataques aéreos russos contra instalações militares no oeste da Ucrânia. Na semana passada, em instalações de defesa aérea e aeródromos militares no oeste da Ucrânia, cerca de 130 quilômetros ao sul de Lviv.

O porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, disse na sexta-feira que as forças russas realizaram ataques com mísseis de longo alcance em dois aeródromos militares nas cidades de Lutsk e Ivano Frankivsk, no oeste da Ucrânia. Oficiais militares ucranianos confirmaram os ataques, mas negaram as alegações russas de que as instalações de defesa aérea em ambos os aeródromos foram destruídas. Autoridades locais disseram que dois militares ucranianos foram mortos e seis pessoas ficaram feridas no aeródromo militar de Lutsk.

As forças russas atacaram a base aérea em Ivano-Frankivsk novamente no domingo de manhã. O prefeito da cidade, Ruslan Martsinkiv, pediu que as pessoas que moram perto da base saiam.

O ministro da Defesa da Ucrânia apelidou o ataque aéreo da Rússia a Yavoriv de “ataque terrorista”. Oleksii Reznikov twittou: “A Rússia atacou o Centro Internacional de Manutenção da Paz e Segurança perto de Lviv. Instrutores estrangeiros trabalham aqui. As informações sobre as vítimas estão sendo esclarecidas. Este é um novo ataque terrorista à paz e segurança perto da fronteira UE-OTAN. Ações devem ser tomadas para impedir isso. Feche o céu!”.

Fontes