Quase um terço dos britânicos admite ter preconceito racial

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

28 de maio de 2014

Reino Unido

Segundo um estudo divulgado nesta quarta-feira (28) pelo Centro Nacional de Investigação Social do Reino Unido, quase um terço dos britânicos admitiu ter algum preconceito racial. Mais de 20 mil britânicos foram ouvidos e um terço admitiu ter "muito" ou "pouco" preconceito. Em uma pesquisa realizada em 2001, o número foi menor, 25% admitiram ter preconceito. Isso representa um retorno aos níveis de 30 anos atrás.

Existem diferenças entre as regiões do país: em Londres, 16% dos entrevistados admitiu ter preconceito racial. Na região de West Middlands, no oeste da Inglaterra, esse número é mais do que o dobro, 35%. E também existem diferenças entre grupos sociais: o grupo que registrou o maior aumento na pesquisa foi o de homens com escolaridade, embora a maior taxa de rejeição ocorra entre homens mais velhos que têm trabalhos braçais.

Outro fator é a idade: o preconceito racial é de 25% entre pessoas entre 17 e 34 anos e de 36% entre os com mais de 55 anos. Além disso, mais de 90% dos entrevistados que confessou ter algum preconceito confirmou também o desejo de que o número de imigrantes no Reino Unido diminua, opinião compartilhada por 73% das pessoas que indicaram não ter preconceito.

"Os níveis de preconceitos raciais diminuíram na década de 90, mas voltaram a aumentar de novo durante a primeira década deste século", assinalou a conselheira do Centro, Penny Young, acrescentando que esses dados "vão contra a tendência de um Reino Unido socialmente mais liberal e tolerante". Ela concluiu que "nossos líderes nacionais têm que compreender e responder aos níveis de preconceitos raciais crescentes se querem construir comunidades locais sólidas".

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com