Protestos contra o governo do Egito deixam 11 mortos e 30 feridos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

25 de janeiro de 2015

Egito

Pelo menos 11 pessoas morreram e 30 ficaram feridas hoje (25) no Egito, dia em que se comemora o quarto aniversário do início da Primavera Árabe. A revolta de 2011 levou à destituição do presidente Hosni Mubarak. Citando o Ministério da Saúde, o site do diário estatal Al-Ahram afirmou que os confrontos entre manifestantes e policiais no Cairo resultaram em 11 mortos e 30 feridos.

De acordo com o jornal, a polícia utilizou gás lacrimogêneo e disparou para dispersar centenas de manifestantes que gritavam slogans hostis contra islamitas e novas autoridades. Eles tentavam chegar à Praça Tahir, epicentro da revolução. Os partidários do antigo presidente islamita Mohamed Mursi protestavam contra Abdel Fattah al-Sissi, ex-chefe do Exército e atual chefe de Estado. Ontem (24), uma manifestante egípcia foi morta pela polícia, durante protesto na Praça Tahrir.

As manifestações que obrigaram Mubarak a deixar o poder começaram em 25 de janeiro de 2011. Al-Sissi foi eleito em maio, com mais de 90% dos votos, depois de ter destituído Mursi, em julho de 2013. Ele tem apoio de grande parte da opinião pública, cansada de quatro anos de instabilidade política e de crise econômica. No entanto, seus detratores acusam-no de ter instaurado um regime ainda mais autoritário que o de Mubarak, reprimindo a oposição islâmica e laica.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati