Promotor dá parecer contra redução de pena para Suzane Von Richtofen

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de julho de 2009

Taubaté, SP, Brasil

O promotor Paulo de Palma, da Promotoria de Justiça de Execuções Criminais de Taubaté, negou hoje o regime semiaberto a Suzane von Richthofen. O promotor rejeitou o pedido do advogado, alegando que ela apresenta forte cunho "manipulador e dissimulado" e com base nisso, ainda não tem condições de sair da prisão e ficar no regime semi-aberto. Agora, a defesa tem 5 dias para fazer um novo pedido de progressão de pena. Só depois, a decisão será levada às mãos de um juiz.

A defesa de Suzane pediu para que a jovem fosse avaliada por uma assistente social, um psicólogo e um psiquiatra em maio. O laudo com o exame criminológico de Suzane foi encaminhado na última terça-feira, dia 21, ao Ministério Público de Taubaté, no interior de São Paulo. O documento contém o parecer da junta médica responsável por avaliar se a jovem pode cumprir a pena em regime semiaberto. O juiz da 1ª Vara de Execuções Criminais dar a sentença até sexta-feira, dia 31. O Ministério Público de São Paulo ainda não deu uma resposta sobre o caso.

Segundo o advogado da jovem, Denivaldo Barni Júnior, Suzane já cumpriu um sexto da pena e pode passar para o regime semiaberto. Suzane e os irmãos Christian e Daniel Cravinhos foram condenados pelo assassinato dos pais da jovem em julho de 2006. Ela foi condenada há 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais em 2002.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit