Professor empreende cruzada para libertação de seqüestrados pelas FARC

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

9 de julho de 2007

Gustavo Moncayo está desde o dia 16 de junho quando saiu sozinho de Sandoná em direção a Bogotá numa caminhada para chamar a atenção para o seqüestro de seu filho e de outras pessoas pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Moncayo é professor e pai do cabo do Exército Pablo Emilio Moncayo, que foi seqüestrado pelas FARC em dezembro de 1997.

Bernardo Antonio Garavito, 48 anos, decidiu juntar-se ao professor Moncayo e há três dias caminha a seu lado para pedir a libertação do filho de Clara Rojas, Emmanuel, e de outros seqüestrados pela narcoguerrilha comunista colombiana. Clara Rojas é refém das FARC e seu filho Emmanuel nasceu no cativeiro.

Além de Garavito, diversas outras pessoas juntaram-se à marcha que agora conta com pelo menos 40 pessoas.

Segundo a Rádio Caracol, Moncayo já chegou à cidade de Zarzal, nos limites do Valle del Cauca.

O professor costuma ser ajudado pelas autoridades e por simpatizantes dos locais por onde passa.

Fontes