Primeira-ministra da Nova Zelândia alcança vitória histórica

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de outubro de 2020

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, venceu este sábado (17), as eleições gerais do país com uma vitória esmagadora, obtendo maioria absoluta.

Com dois terços dos votos contados, o seu Partido Trabalhista de centro-esquerda já havia conquistado mais de 49% dos votos e era esperado que assegurasse cerca de 64 assentos no parlamento de 120 membros.

O número foi alto o suficiente para a líder da oposição Judith Collins ceder e telefonar para Ardern para parabenizá-la.

“Parabéns pelo seu resultado porque é, acredito, um resultado notável para o Partido Trabalhista. Tem sido uma campanha difícil”, disse Collins na cidade de Auckland.

O seu conservador Partido Nacional teria cerca de 35 assentos no que parece ser a pior eleição em quase 20 anos.

Nenhum líder político garantiu a maioria absoluta desde que a Nova Zelândia adotou um sistema de votação proporcional em 1996, levando a vários governos de coligação.

O resultado de Ardern é melhor do que o esperado e é provável que dê aos Trabalhistas a sua vitória mais forte desde 1946.

Ela foi muito elogiada pela sua liderança durante a pandemia de coronavírus, que causou apenas 25 mortes no país de 5 milhões.

Ela mostrou empatia e ação decisiva no controle de armas depois que um atirador da supremacia branca matou 51 muçulmanos num ataque a mesquitas no ano passado.

Ardern também demonstrou uma forte liderança ao lidar com as consequências de uma erupção vulcânica na Ilha Branca, também conhecida como Whakaari, que matou 21 pessoas e deixou dezenas de feridos em dezembro.

Fontes[editar]

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com