Presidentes da China e dos Estados Unidos se reúnem em Pequim e anunciam que estabeleceram novas metas para emissão de gases até 2030

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

12 de novembro de 2014

China

Os presidentes da China (Xi Jinping) e dos Estados Unidos (Barack Obama) reuniram-se hoje (12) no Grande Palácio do Povo, em Pequim, para nova rodada de conversações. Pelas imagens divulgadas na imprensa oficial, o primeiro encontro decorreu em clima descontraído, com o líder chinês mostrando a Barack Obama os jardins de Zhongnanhai (o Kremlin chinês) situado ao lado do antigo Palácio Imperial.

Obama chegou a Pequim na segunda-feira (10), em visita de oito dias pela Ásia-Pacífico, que inclui a Mianmar e a Austrália. Xi Jinping e Obama tiveram um primeiro encontro informal ontem (11) à noite, após a cúpula anual da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, que reuniu na capital chinesa líderes de 21 países e regiões do Anel do Pacífico.

Na primeira intervenção pública em Pequim, Obama saudou a ascensão global da China e disse que o futuro dos Estados Unidos está indissociavelmente ligado à Ásia. "Saudamos a ascensão de uma China próspera, pacífica e estável", disse Obama, em encontro com cerca de 1.500 empresários da Ásia-Pacífico.

Na reunião realizada hoje, os dois países, principais emissores de gases de efeito estufa, definiram hoje novas metas com vista à redução das emissões de gás carbônico, informou a Casa Branca em comunicado. A China, primeiro emissor mundial, estabeleceu que as suas emissões de gases de efeito estufa atinjam o ponto máximo "por volta de 2030", mostrando a intenção de “tentar atingir o pico mais cedo" do que isso, anunciou a Casa Branca.

É a primeira vez que a China (o maior poluidor mundial) estabelece data, ainda que aproximada, para que as suas emissões de gás carbônico parem de aumentar. Por sua vez, os Estados Unidos comprometeram-se a atingir, até 2025, uma redução entre 26% e 28% das suas emissões registradas em 2005.

Cientistas têm alertado para a necessidade de medidas drásticas a fim de combater o aquecimento global. As metas anunciadas hoje antecedem a Conferência do Clima em Paris que, em 2015, deverá aprovar, pela primeira vez, um acordo global ambicioso.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati