Presidente e ministros de Gana reduzem salários em medidas de corte de custos

25 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente de Gana, Nana Akufo-Addo, e seus ministros reduziram seus salários em 30% em meio a uma série de outras medidas para cortar gastos após o aumento dos preços dos combustíveis causado principalmente pela crise na Ucrânia.

Em um discurso muito esperado à nação, o ministro das Finanças, Ken Ofori-Atta, disse que o governo espera economizar cerca de US$ 400 milhões por meio de medidas, que incluem a suspensão imediata de viagens ao exterior por nomeados pelo governo, exceto para missões críticas, e a compra de veículos importados.

Ele disse que o governo não tem outra opção a não ser responder aos desenvolvimentos no mercado global para salvar a economia.

“É importante enfatizar, desde o início, que as dificuldades que estamos enfrentando em Gana não são peculiares ao Gana. impacto devastador do COVID-19, que distorceu as cadeias de suprimentos globais e a guerra Rússia-Ucrânia em andamento.”

Em resposta, a oposição liderada pelo líder da minoria Haruna Iddrisu disse à mídia em uma entrevista coletiva que as medidas do presidente são populistas e inadequadas para proteger os ganenses das dificuldades.

“Ele perdeu o contato com a realidade”, disse Iddrisu. “Ele não está em sintonia com o estado da economia de Gana. A nossa economia hoje é uma que reflete nada menos do que uma crise do custo de vida e uma crise do custo de fazer negócios, tanto para os cidadãos como para as empresas que não conseguem fazer face às medidas anunciadas pelo ministro das Finanças. Não achamos as medidas propostas suficientemente adequadas.”

De sua parte, o economista Patrick Asuming disse ue cortar despesas é uma boa jogada, mas é insignificante para alcançar qualquer impacto de longo prazo na economia.

“Acredito em soluções de médio e longo prazo”, disse. “Acho que estamos em crise e precisamos combater o fogo. Mas além de estabilizar a moeda nos próximos meses ou no resto do ano, algumas coisas terão que ceder. Além disso, não basta dizer ‘Vou fazer todos esses cortes nos funcionários do setor governamental e nomeados políticos até o resto do ano.’ Acho que precisamos de reformas mais substanciais.”

Nas próximas semanas ou meses, os ganenses procurarão ver como as medidas afetarão a economia e também aliviarão o alto custo de vida.

Fontes