Saltar para o conteúdo

Presidente do parlamento sul-africano renuncia acusada de corrupção

Fonte: Wikinotícias

5 de abril de 2024

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A ex-presidente do parlamento da África do Sul foi presa quinta-feira e acusada de múltiplas ações de corrupção, um dia depois de ter renunciado ao cargo.

A prisão de Nosiviwe Mapisa-Nqakula é mais um golpe para a reputação do partido que governa o Congresso Nacional Africano, ou ANC, à medida que se prepara para eleição.

Mapisa-Nqakula, uma veterana de 67 anos da luta anti-apartheid, renunciou ao cargo de presidente da Câmara na noite de quarta-feira e entregou-se numa esquadra de polícia na quinta-feira.

Ela foi acusada em tribunal de 12 acusações de corrupção e uma de lavagem de dinheiro, decorrentes de seu período como ministra da Defesa. Ela é acusada de ter aceitado subornos no valor de cerca de US$ 120 mil de um ex-empreiteiro militar para garantir um contrato.

Mapisa-Nqakula foi libertada sob fiança depois de comparecer a um tribunal, onde negou qualquer irregularidade, mas disse que se demitiu para proteger o seu partido.

Num comunicado, a porta-voz do ANC, Mahlengi Bhengu-Motsiri, agradeceu-lhe por se afastar. “Agradecemos a todos aqueles que participaram no processo de escrutínio e continuamos a dizer que o Estado de direito vem em primeiro lugar”, disse ela.

Fontes[editar | editar código-fonte]