Presidente da UNITA pede reforço da fiscalização das eleições em encontro com embaixadora da UE

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O futuro da cooperação entre Angola e a União Europeia (UE) dominou o encontro em o presidente da Unita e a embaixadora da União Europeia em Luanda, nesta quarta-feira, 16.

Jeannette Seppen disse que pretendeu saber mais sobre os desafios políticos do país, enquanto Adalberto Costa Júnior pediu mais reforço à fiscalização do processo eleitoral de 2022.

“Angola está a entrar na fase das eleições, então a União Europeia, na parte da parceria com Angola, fala com todas as partes e é um encontro que vamos fazer com todos os partidos políticos para podermos perceber quais são os desafios e as belezas do vosso país”, disse Jeannette Seppen no final da audiência com o presidente da UNITA.

A diplomata lembrou que consta da relação de parceria existente entre Angola e a União Europeia o combate à corrupção, “um assunto importantíssimo”.

“Deve ser um programa que Angola vai continuar a tratar, para nós também dizermos aos cidadãos europeus que os apoios que nós damos são bem tratados”, acrescentou.

Por seu lado, o presidente da UNITA indicou que “foi uma oportunidade que visou partilhar os desafios do país, particularmente sobre as eleições de 2022, questões ligadas aos diretos cívicos e políticos”.

Adalberto Costa Júnior disse também que é preocupação da ampla frente patriótica a fiscalização séria das eleições.

“O Governo angolano não aceitou observadores internacionais, senão os africanos, é importante que os próximos desafios tenham observadores com bastante maturidade”, defendeu o líder da oposição.

Recorde-se que há dois meses, o presidente da UNITA realizou uma série de visitas à Europa e a alguns países africanos, entre eles a Guiné-Bissau.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit