Presidente Levy Mwanawasa da Zâmbia morre aos 59 anos de acidente vascular cerebral

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de agosto de 2008

Paris, FrançaLevy Mwanawasa, presidente da Zâmbia, morreu na terça feira (dia 19) aos 59 anos. Ele morreu em um hospital de Paris, França. A morte foi inicialmente anunciado por um membro anónimo da família. Ele foi mais tarde confirmado pelo vice-presidente na televisão Rupiah Banda.

Levy Mwanawasa

Mwanawase sofreu um acidente vascular cerebral, enquanto estava no Egito, em junho deste ano, na reunião da União Africana, que depois ele foi levado por avião para a França. A condição piorou subitamente na segunda-feira dia 18.

"Gostaria também de informar o luto nacional a nação, que começa hoje e será por sete dias", afirmou Banda.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush expressou condolências e referiu ao Mwanawasa como "um paladino da democracia no seu próprio país e em toda a África."

Mwanawase cuja carreira política começou em 1985 quando ele foi nomeado advogado geral no governo da Zâmbia. Ele foi nomeado vice-presidente de Zâmbia em 1991. Ele deixou em 1994 anunciando grave abuso de poder e de corrupção como o seu motivo. Ele aposentou em 1996, mas depois correu para presidente em 2001.

Ele ganhou a eleição presidencial 2001 derrotando dez outros candidatos. Ele correu com sucesso para um segundo mandato em 2006. Ele foi um dos primeiros dirigentes a criticar o presidente de Zimbábue, Robert Mugabe.

Ele também criticou o Ocidente para a sua posição em fazer negócios com a China. "Você e as pessoas no Ocidente resgatam você mesmo antes de começar atacando China", disse Mwanawasa.

Mwanawasa sofreu um ligeiro acidente vascular cerebral, em 2006. Em 3 de julho de 2008, foi comunicado que tinha morrido Mwanawasa, essas notícias mais tarde eram falso. Ele tinha estado no hospital francês desde o início de julho. Rupiah Banda agora é o atual presidente da Zâmbia. A eleição presidencial terá que ser feita no prazo de 90 dias.


Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati