Pesquisa de controle de câncer recebe R$ 1,5 milhão da Cedae no Rio

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de dezembro de 2014

Brasil

A Fundação do Câncer, parceiro privado do Instituto Nacional de Câncer (Inca), do Ministério da Saúde, recebeu hoje (22) doação de R$ 1,5 milhão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), em conjunto com o programa Rio Solidário. Os recursos serão aplicados em pesquisas para melhoria do controle da doença no Brasil.

A doação está inserida no Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), com objetivo de estimular ações e serviços desenvolvidos por entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos no campo da oncologia. As pessoas físicas e jurídicas que contribuem com doações para projetos nessa área se beneficiam de deduções fiscais no Imposto de Renda.

“Foi uma doação por projeto incentivado”, salientou a gerente de Marketing e Captação da fundação, Claudia Gomes. O Projeto do Conhecimento Científico à Aplicação em Pesquisa Translacional e Epidemiológica para Melhoria do Controle do Câncer foi apresentado ao Pronon pela Fundação do Câncer.

Uma das finalidades é contribuir para o desenvolvimento molecular de vários tipos de câncer e avançar no conhecimento da terapia genética para aplicação clínica. A pesquisa pretende estudar as alterações moleculares que levam à formação, evolução, metástase e resistência a drogas de alguns tipos de câncer em adultos e crianças, entre os quais os de mama, gastrointestinais e neoplasias hematológicas. Caberá ao Instituto Nacional de Câncer (Inca) desenvolver trabalhos científicos referentes à pesquisa.

O presidente da Cedae, Wagner Victer, informou que a empresa está decidida a continuar contribuindo para pesquisas de controle do câncer no Inca. “Já vamos providenciar para repetir a doação ano que vem, colaborando no trabalho de excelência e que ajuda tantas pessoas em todo o Brasil”, acrescentou.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati