Pesquisa de controle de câncer recebe R$ 1,5 milhão da Cedae no Rio

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de dezembro de 2014

Brasil

A Fundação do Câncer, parceiro privado do Instituto Nacional de Câncer (Inca), do Ministério da Saúde, recebeu hoje (22) doação de R$ 1,5 milhão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), em conjunto com o programa Rio Solidário. Os recursos serão aplicados em pesquisas para melhoria do controle da doença no Brasil.

A doação está inserida no Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), com objetivo de estimular ações e serviços desenvolvidos por entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos no campo da oncologia. As pessoas físicas e jurídicas que contribuem com doações para projetos nessa área se beneficiam de deduções fiscais no Imposto de Renda.

“Foi uma doação por projeto incentivado”, salientou a gerente de Marketing e Captação da fundação, Claudia Gomes. O Projeto do Conhecimento Científico à Aplicação em Pesquisa Translacional e Epidemiológica para Melhoria do Controle do Câncer foi apresentado ao Pronon pela Fundação do Câncer.

Uma das finalidades é contribuir para o desenvolvimento molecular de vários tipos de câncer e avançar no conhecimento da terapia genética para aplicação clínica. A pesquisa pretende estudar as alterações moleculares que levam à formação, evolução, metástase e resistência a drogas de alguns tipos de câncer em adultos e crianças, entre os quais os de mama, gastrointestinais e neoplasias hematológicas. Caberá ao Instituto Nacional de Câncer (Inca) desenvolver trabalhos científicos referentes à pesquisa.

O presidente da Cedae, Wagner Victer, informou que a empresa está decidida a continuar contribuindo para pesquisas de controle do câncer no Inca. “Já vamos providenciar para repetir a doação ano que vem, colaborando no trabalho de excelência e que ajuda tantas pessoas em todo o Brasil”, acrescentou.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati