Pedido na Índia que se censure Google Earth para evitar atentados terroristas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização geográfica do estado indiano de Maharashtra.

10 de março de 2009

Índia

O estado indiano de Maharashtra busca medidas legais para censurar as imagens do Google Earth de lugares que poderiam ser branco de ataques. Consideram que esta medida impediria atentados como os de Bombaim, em que foi utilizado esta ferramenta do Google.

A censura do programa informático (software) poderia evitar ataques terroristas como os registrados no final de novembro, em Mumbai (ou Bombaim). Ao pelo menos assim o que pensam as autoridades do estado indiano de Maharashtra, do qual Vice-Ministro dos Assuntos Internos Naseem Khan, havia comunicado o envio de uma "proposta" de censura ao Governo central indiano e as "correspondentes" agências de inteligência. Seu objetivo se orienta a aplicar esta medida “o antes possível".

Maharashtra buscará medidas legais (ação judicial) que permitam censurar as imagens de lugares suscetíveis de ser atacados por esta ferramenta do Google, que fornece imagens de satélite, mapas e busca geográfica.

O vice-ministro destacou que as autoridades estão preocupadas desde que suspeitaram que o comando terrorista que invadiram a parte sul da capital financeira da Índi usou imagens do Google Earth. Khan afirmou que há um escore de sítios susceptíveis de serem atacados em Mumbai, Maharashtra e resto do país que podem ser vistos com facilidade nos mapas desta ferramenta digital.

"Queremos que ao menos das localizações mais suscetíveis (de ser atacadas), como instalações militares da Defesa, sedes do Governo, câmaras legislativas, importantes lugares de culto, zonas portuárias, docas e locais similares desapareçam dos mapas de satélite", declarou Khan.

Quase 180 pessoas morreram no atentado de novembro, que incluiu o ataque aos dois luxuosos hotéis, um centro estudo judaico, uma estação ferroviária, bares e restaurantes.

Fonte