Partos por cesariana chegam a 88% na rede privada

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

29 de maio de 2014

Brasil

Uma pesquisa feita pela Fiocruz e pelo Ministério da Saúde em 2011 e 2012, e divulgada nesta quinta-feira (29), revelou que 52% dos nascimentos em hospitais brasileiros, dentre públicos e privados, acontecem por cesariana, chegando a 88% ao se considerarem apenas os hospitais privados. O índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde é de apenas 15%. Além disso, 36% das mães entram na rede privada querendo fazer cesariana e, ao longo da gestação, esse índice aumenta para 88%. Na rede pública, 15% querem fazer cirurgia desde o início, e, durante a gravidez, há um aumento que chega aos 40% de cesarianas realizadas no SUS.

A pesquisa também abordou o planejamento familiar. Dentre as mães ouvidas, 45% desejavam a gravidez e 9% ficaram insatisfeitas ao saber que esperavam um bebê. Um percentual de 2,3% das mulheres tentou interromper a gravidez, mas estas não tiveram sucesso. Estima-se que um quarto das gestações levam ao aborto no país, o que é uma das principais causas de morte materna. Outra informação é que 26% das mães tiveram sintomas de depressão pós-parto. Segundo Maria do Carmo Leal, coordenadora da pesquisa, "É um problema muito comum no mundo e maior ainda no Brasil. Identificamos que ele é mais frequente em mulheres de famílias pobres que tiveram gravidez indesejada. Isso indica que o planejamento da gravidez é muito importante”.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati