Partido governista pede a renúncia do presidente da África do Sul

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de setembro de 2008

África do Sul

O partido governista da África do Sul, o Congresso Nacional Africano (CNA), que governa o país desde o final oficial do regime segregacionaista Apartheid (leia-se Arpatáidi) em 1994, perdiu a renúncia do presidente sul-africano Thabo Mbeki. O pedido de renúncia foi feito pelo secretário-geral do CNA.

O presidente é acusado de participar de uma suposta conspiração política, para impulsionar o processo por corrupção do líder do mesmo partido Jacob Zuma. Segundo fontes do governo, o presidente aceitou participar dos procedimentos formais e poderá deixar o cargo.

O líder do CNA, Jacob Zuma, enfrenta problemas jurídicos desde 1999. Ele já respondeu no tribunal pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e extorsão. Em 2005, Zuma chegou a ser afastado da vice-presidência. O CNA suspeita que Thabo Mbeki tenha conspirado contra o líder do partido. A rivalidade entre os dois políticos sempre foi grande. E ficou ainda mais acirrada depois que Zuma conquistou a liderança o partido, no ano passado.

O mandato de Thabo Mbeki termina no ano que vem e é sucessor do líder da luta contra o Apartheid, Nelson Mandela, que governou o país até 1999. O assessor de Mbeki afirmou que o chefe de Estado deixaria o posto, assim que fossem formalizados todos os procedimentos constitucionais.

Fontes