Parlamento venezuelano elege novo poder eleitoral para os próximos sete anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de maio de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Parlamento venezuelano instalado no início deste ano, e que grande parte da comunidade internacional considera ilegítimo, nomeou os diretores que conduzirão o Conselho Nacional Eleitoral até 2028.

As bancadas dos partidos fiéis ao presidente Nicolás Maduro, que controlam a maioria absoluta da Assembleia Nacional, e da oposição do líder político Juan Guaidó votaram a favor da eleição de cinco reitores titulares e dez suplentes para integrar o poder eleitoral.

A mesa principal do Conselho Nacional Eleitoral era finalmente composta por três funcionários ligados ao partido no poder e dois à oposição.

Assim, o Parlamento votou em Pedro Calzadilla, historiador, ex-ministro de Hugo Chávez e Maduro; Tania D'Amelio, ex-ativista; e Alexis Corredor, professor, ex-deputado da Assembleia Nacional Constituinte, que se define como um “militante do PSUV”.

A Assembleia Nacional também apoiou a nomeação como reitores principais de Enrique Márquez, ex-deputado de partidos da oposição; e Roberto Picón, engenheiro de sistemas e ex-assessor da extinta Mesa da Unidade Democrática, contrário ao Chavismo.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit