Parlamento Europeu vai ter "palco" de manifestações contra Governo angolano

Fonte: Wikinotícias
Angola.

Agência VOA

Movimento para Paz e Democracia em Angola leva situação dos direitos humanos ao coração da Europa.

27 de julho de 2015

link=mailto:?subject=Parlamento%20Europeu%20vai%20ter%20"palco"%20de%20manifestações%20contra%20Governo%20angolano%20–%20Wikinotícias&body=Parlamento%20Europeu%20vai%20ter%20"palco"%20de%20manifestações%20contra%20Governo%20angolano:%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/Parlamento_Europeu_vai_ter_%22palco%22_de_manifesta%C3%A7%C3%B5es_contra_Governo_angolano%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
link=mailto:?subject=Parlamento%20Europeu%20vai%20ter%20"palco"%20de%20manifestações%20contra%20Governo%20angolano%20–%20Wikinotícias&body=Parlamento%20Europeu%20vai%20ter%20"palco"%20de%20manifestações%20contra%20Governo%20angolano:%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/Parlamento_Europeu_vai_ter_%22palco%22_de_manifesta%C3%A7%C3%B5es_contra_Governo_angolano%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Angolanos a viverem na Europa vão realizar três manifestações de protesto contra o Governo angolano em Bruxelas (capital da Bélgica). Antes, Lisboa (capital de Portugal) acolhe acto semelhante com a presença da Amnistia Internacional.

A primeira manifestação está programada para esta sexta-feira 31 de Julho em frente ao Parlamento Europeu em Bruxelas, a segunda no dia 14 de Agosto junto da embaixada de Angola e a última no dia 27 de novo em frente ao Parlamento Europeu.

Massunguna da Silva Pedro, presidente do Movimento para a Paz e Democracia em Angola (MPDA), que está a organizar as manifestações disse à VOA que o principal objectivo das manifestações é "protestar contra a detenção dos 15 jovens acusados de prepararem uma insurreição contra o governo do Presidente José Eduardo dos Santos".

Silva Pedro afirmou também que as manifestações visam protestar contra as “injustiças sociais, prisões arbitrárias e tortura” e ainda contra as acções policiais no Monte Sume no Huambo, que resultaram na morte de um número indeterminado de seguidores da seita A Luz do Mundo de Julino Kalupeteka".

O Presidente do MPDA disse que, apesar de inúmeros apelos de angolanos e organizações nacionais e internacionais, o Governo tem-se mantido na mesma via pelo que as manifestações são o único meio de mostrar o desagrado da comunidade angolana no estrangeiro.

Fonte