Paquistão atingido por 'míssil supersônico' supostamente disparado pela Índia

Fonte: Wikinotícias

11 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os militares do Paquistão disseram na quinta-feira que um "míssil supersônico" indiano atingiu seu território, danificando propriedades civis, mas sem causar vítimas.

“O Paquistão protesta fortemente contra essa violação flagrante e adverte contra a recorrência de qualquer incidente desse tipo no futuro”, disse o porta-voz do Exército, major-general Babar Iftikhar, a repórteres na cidade-guarnição de Rawalpindi.

“O que quer que tenha causado este incidente, cabe aos índios explicar”, exigiu ele, dizendo que o ato “provocativo” dos índios ocorreu na noite de quarta-feira.

Não houve resposta imediata da Índia.

Iftikhar disse que o sistema de defesa aérea do Paquistão pegou o míssil assim que ele decolou da cidade indiana de Sirsa, a cerca de 104 quilômetros da fronteira entre os dois países, e "monitorou continuamente" sua trajetória de voo completa.

“Desde seu curso inicial, o objeto de repente manobrou em direção ao território paquistanês e violou o espaço aéreo do Paquistão, caindo perto de Mian Channu”, disse ele.

O general explicou que o míssil estava voando a uma altitude de 12 quilômetros e permaneceu no espaço aéreo paquistanês por cerca de 204 segundos antes de terminar 124 quilômetros dentro do Paquistão, na província de Punjab, na fronteira leste.

"E quando caiu, também danificou algumas propriedades civis. Felizmente, nenhuma perda ou dano à vida humana foi causado", disse ele, observando que não havia instalações militares sensíveis na área de impacto.

Mas Iftikhar disse que o incidente poderia ter resultado em um grande desastre aéreo e vítimas civis no solo.

“É importante destacar que a trajetória de voo deste objeto colocou em risco muitos voos internacionais e domésticos de passageiros tanto no espaço aéreo indiano quanto no paquistanês, bem como a vida humana e a propriedade em terra”, disse ele.

O vice-marechal Tariq Zia, oficial sênior da força aérea paquistanesa, disse a repórteres que especialistas em aviação ainda estavam examinando os restos do míssil.

Mais tarde, o Ministério das Relações Exteriores do Paquistão convocou o encarregado de negócios indiano em Islamabad para apresentar um protesto formal pela violação "não provocada" do espaço aéreo paquistanês.

Fontes