Papa pede atuação adequada da comunidade internacional contra Estado Islâmico

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Papa Francisco na visita na Coreia do Sul em 17 de agosto de 2014.
Imagem: Russavia.

Agência Brasil

20 de outubro de 2014

Vaticano

O papa Francisco disse hoje (20) que os atos dos jihadistas do movimento Estado Islâmico (EI, ex-Estado Islâmico do Iraque e do Levante, EIIL) são um “terrorismo de dimensões antes inimagináveis” e pediu a “atuação adequada” da comunidade internacional. “Estamos assistindo a um fenômeno de terrorismo de dimensões antes inimagináveis. Parece que se perdeu a consciência do valor da vida humana, que as pessoas não têm valor e que podem ser sacrificadas por outros interesses. E, tudo isto, lamentavelmente, diante da indiferença de muitos”, criticou.

O papa abriu, com esta declaração, o consistório de cardeais - reunião para dar assistência ao papa nas suas decisões - em que abordará a situação no Oriente Médio e o papel que a Igreja Católica pode desempenhar para promover a paz. Diante da situação, “muito preocupante”, o papa pediu uma “resposta adequada” da comunidade internacional. “Estou seguro que, com a ajuda do Senhor, do encontro de hoje, emanarão reflexões e sugestões válidas para ajudar os nossos irmãos que sofrem e para acudir o drama da redução da presença cristã na terra onde nasceu e se difundiu o cristianismo”, destacou.

O papa recordou que a Igreja está unida no “desejo de paz e de estabilidade no Oriente Médio” e na “vontade de favorecer a resolução de conflitos mediante o diálogo, a reconciliação e o compromisso político”. O pontífice já mostrou sua preocupação com a situação na Região Oriental do Mediterrâneo, onde os jihadistas do EI avançam com o objetivo de estabelecer um califado entre a Síria e o Iraque, sob as ordens de Abu Bakr Al Baghdadi.

Para conhecer a situação dos refugiados, Francisco enviou à região o prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, Fernando Filoni.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati