PV prepara festa em São Paulo para filiação de Marina Silva

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marina Silva em 8 de maio de 2008.
Foto: Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil (ABr)

Agência Brasil

20 de agosto de 2009

Brasília, Distrito Federal, Brasil


O Partido Verde programa para 30 de agosto, em São Paulo (SP), a oficialização do ingresso da senadora Marina Silva (AC) nos quadros do partido. O vice-presidente Alfredo Sirkis publicou na página do PV na internet que uma convenção nacional "festiva" vai oficializar a filiação da senadora, primeiro passo para uma eventual candidatura presidencial em 2010.

De acordo com o dirigente, ficou acertado com a senadora, que anunciou ontem (19) a sua desfiliação do PT, a indicação de nove pessoas de sua confiança para integrar a Executiva Nacional do PV. Sirkis afirmou que, juntamente com os 11 membros do colegiado, estas pessoas serão responsáveis pela elaboração do texto base que norteará o novo programa partidário e de governo, além da campanha presidencial.

Sobre a eventual candidatura de Marina Silva à Presidência, Alfredo Sirkis ressaltou que “a decisão de Marina não é automática à filiação, será tomada em momento posterior”. O dirigente destacou ainda que a campanha Brasil no Clima, já em execução pelo PV, será relançada com a participação da senadora em 27 de setembro, no Rio de janeiro.

O objetivo desta campanha é conscientizar a sociedade da necessidade de o governo brasileiro assumir “metas audazes” na Conferência de Copenhague, quando lideranças mundiais rediscutirão as medidas adotadas para reduzir a emissão de gases poluentes causadores do aquecimento global. O PV defende, por exemplo, a adoção pelo governo de medidas que passam por um controle maior das queimadas na Amazônia e por um aproveitamento racional das fontes de energia.

O deputado Fernando Gabeira conversou com a Agência Brasil e destacou que o PV tem dois grandes desafios pela frente: atualizar suas propostas de governo adequando os programas à nova realidade imposta pelos efeitos do aquecimento global e aumentar a influência do PV com a participação mais efetiva de cientistas e intelectuais.

Segundo o deputado, problema é que os programas de partido e de governo do PV foram elaborados antes da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), realizada em 1992, no Rio de janeiro. Na ocasião, líderes mundiais comprometeram-se a reduzir gradativamente a emissão de carbono na atmosfera para conter os efeitos do aquecimento global.

Gabeira disse ainda que a reestruturação do PV deve passar pela adoção de providências que evitem o uso da legenda para interesses específicos dos candidatos, nos estados e municípios, em detrimento dos compromissos partidários. A expectativa do PV, segundo Fernando Gabeira, é que o partido inicie 2010 já com novas propostas consolidadas o que dará à senadora Marina Silva condições para apresentar à sociedade uma nova alternativa de desenvolvimento social e econômico numa eventual candidatura à Presidência da República.

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati