PMDB terá mais espaço no governo da presidenta Dilma, diz cientista político

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira do Brasil
Outras notícias sobre o Brasil
Localização do Brasil
Localização do Brasil

27 de outubro de 2014

Brasil

O PMDB vai conquistar mais espaço no segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff. A avaliação é do cientista político da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e diretor do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), Geraldo Tadeu Moreira, para quem o PT saiu da eleição enfraquecido no novo arranjo do Congresso.

“O PT perdeu 18 deputados na Câmara e perdeu senadores e governadores e teve uma vitória muito apertada. Isso significa que dentro do governo Dilma as cartas vão ser redistribuídas e provavelmente o PMDB vai ter uma posição ainda mais importante, mais central em seu governo. Ela ganhou mas uma vitória que a deixa mais fragilizada dentro da sua coalização de governo. Vai exigir dela mais sensibilidade política”, analisou.

Para o cientista político, o grande desafio da presidenta agora é tratar da crise econômica, que segundo ele, está latente. Na avaliação do professor, o governo fez o possível para segurar a crise econômica e o próximo passo é recuperar a confiança dos mercados que nitidamente investiram em uma derrota da presidenta.

“A presidenta Dilma agora vai restabelecer a credibilidade. Tem alguns desafios imediatos também como a crise energética que se avizinha com o problema da água em São Paulo e em outros estados. De imediato ela tem esses desafios”, disse. Quanto às políticas públicas ele não vê mudanças imediatas porque será um governo de continuidade.

Na análise de Geraldo Tadeu Moreira, a conclamação das forças políticas do país que a presidenta fez durante o pronunciamento após o anúncio do resultado da eleição, na prática, terá que ser conduzida pela própria chefe do Executivo.

“Cabe especialmente a ela como presidenta reeleita colocar água na fervura, ultrapassar a fase de campanha e dizer que a partir de agora acabou a disputa, não tem terceiro turno, vamos em frente, vamos unir a Nação. É muito importante a participação das lideranças política e em especial da presidenta”, avaliou.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati