PDT defende o governador cassado do Maranhão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de março de 2009

Brasil

A Executiva Nacional do Partido Democrático Trabalista divulgou a nota ontem defendendo o governador Jackson Lago (PDT-MA), cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O governador continuará no cargo até o julgamento de recursos no TSE. Lago é acusado de abuso de poder econômico e improbidade administrativa, disse horas depois ser cassado que vai recorrer da decisão do TSE.

Na nota, assinada pelo presidente, Vieira da Cunha (RS), pelo secretário-geral, Manoel Dias (SC), e pelo líder na Câmara, Brizola Neto (RJ), o partido manifesta solidariedade ao filiado e promete empenho para tentar reverter a decisão. A Executiva condenou as acusações atribuídas ao governador, afirma ser “inacreditável” a acusação de compra de votos contra o governador, alegando que essas acusações são uma das “práticas” dos adversários de Lago, e não dele, em ataque indireto aos aliados do senador José Sarney (PMDB-AP), aliado do presidente brasileiro Lula.


[O PDT Nacional afirma que] o Brasil inteiro sabe que a vitória de Jackson Lago foi uma conquista do povo que optou livre e democraticamente por um líder popular que derrotou nas urnas as forças conservadoras da política maranhense e nacional. O PDT estará, junto com o governador Jackson Lago, utilizando todos os recursos judiciais possíveis visando a reverter a decisão do TSE, a fim de que a vontade soberana do povo maranhense seja respeitada e o nosso companheiro possa continuar governando o seu estado com competência, ética, transparência e participação popular, marcas de sua vida pública. (...)
É inacreditável e demonstra total desconhecimento da realidade política maranhense atribuir a Jackson Lago exatamente a prática dos seus adversários, conhecidos nacionalmente por abusar do seu incontestável poder econômico e político.

Nota da Executiva Nacional do PDT


Notícia Relacionada

TSE cassa mandato do governador do Maranhão, Jackson Lago, por compra de votos, Wikinotícias, 4 de março de 2009

Fontes