Ortega muda seu embaixador em Cuba pela quarta vez em apenas seis meses

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

13 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O governo do presidente Daniel Ortega, na Nicarágua, trocou nesta quinta-feira seu embaixador em Cuba, que se tornará o quarto diplomata a ocupar esse cargo em menos de seis meses em meio a uma crise política que o país centro-americano atravessa desde 2018.

O mais recente embaixador a ser destituído esta semana é Wilfredo Jerónimo Jarquín Lang, recém nomeado em 6 de janeiro, segundo uma publicação no La Gaceta .

O governo Ortega, que não comentou as mudanças diplomáticas no país aliado da Nicarágua, começou a substituir seus representantes em Havana em dezembro de 2021, um mês após a reeleição do presidente Daniel Ortega.

Até o momento não foi informado quem substituirá Lang no cargo.

Segundo o ex-embaixador da Nicarágua na Organização dos Estados Americanos (OEA), Arturo McFields, a relação entre Havana e Manágua, que já foi histórica, “é hoje histérica” porque, segundo ele.

Há quatro meses, também foi afastado o coronel aposentado Reynaldo Lacayo Centeno, que substituiu o assessor de Políticas e Assuntos Internacionais da Presidência, Sidhartha Francisco Marín, que mal durou onze dias no cargo.

Marín, por sua vez, substituiu Luis Cabrera González, que era embaixador da Nicarágua em Cuba desde 2007, quando Ortega voltou ao poder.

Os críticos do presidente da Nicarágua indicam que essas mudanças no corpo diplomático mostram uma falta de "estratégia real" em sua missão e se devem a "prêmios ou punições".

“É um desperdício de oportunidade que a Nicarágua não tenha um corpo profissional. Ninguém está seguro lá e quem estiver lá deve reiterar sua promessa de incondicionalidade ao casal presidencial”, criticou a líder da oposição Ana Quiroz.

Fontes[editar | editar código-fonte]