Organizações pedem reconhecimento de conselheiros de saúde em Moçambique

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Moçambique.

Agência VOA

Um terço dos seropositivos moçambicanos abandonam o tratamento.

22 de julho de 2015

Um relatório da ONU indica que, em Moçambique, 33% (trinta e três por cento) das pessoas com SIDA abandonam os tratamentos ao fim de um ano.

Para inverter o cenário, várias organizações não governamentais sugerem o reconhecimento do papel dos conselheiros para sensibilizar aquelas pessoas a não abandonarem o tratamento anti-retroviral.

Lucas Molfino, da organização Médicos Sem Fronteira (MSF), explica a importância e o papel destes agentes de saúde: "Embora se tenha registado passos significativos ao se reconhecer o papel fundamental que o conselheiro desempenha no aumento de número de pessoas testadas para o HIV, como aquelas que iniciam com o tratamento, as pessoas que fazem este trabalho não têm reconhecimento profissional desejado e financiamento necessário na maioria dos países, incluindo Moçambique", disse Molfino.

Neste momento, cerca de 500 pessoas exercem o papel de conselheiros, a meta da MSF é chegar aos 1893.

Entretanto,o reconhecimento profissional dos conselheiros pelo Estado Moçambicano seria crucial para inverter o cenário de abandono do tratamento, segundo Carolina Silva, analista em matérias de saúde.

"O Governo ainda não reconheceu esta posição e não harmonizou o pacote de formação, descrição de tarefas e tudo e ainda não tem planos de integrar esta posição importante para minorar o impacto do HIV/Sida", revelou a analista.

A Onusida explica que o reconhecimento profissional dos conselheiros vai contribuir para se atingir as metas desta organização, bem como para que mais pessoas conheçam o seu estado de infecção e iniciem o tratamento, garante José Henrique Zelaya, representante da Onusida.

A MSF em conjunto com a Onusida e a Rensida lançaram a campanha “Eu amo o meu conselheiro”, que visa trazer testemunhos das pessoas com HIV/Sida sobre a importância dos aconselhadores nas suas vidas.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati