Operação para acabar rebelião prisional deixa 37 mortos na Venezuela

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

17 de agosto de 2017

Pelo menos 37 pessoas morreram durante confrontos entre prisioneiros armados e agentes de segurança numa pequena prisão no sul da Venezuela.

O governador do Estado do Amazonas, Liborio Guarulla, disse que as mortes aconteceram depois que uma briga começou entre os prisioneiros e seus carcereiros na noite de terça-feira, 15, em Puerto Ayacucho, capital do Estado.

Ele revelou que agentes de segurança entraram no local para tentar restaurar a ordem, depois de os prisioneiros terem assumido o controlo há semanas.

“À meia-noite forças especiais chegaram e durante a noite ouvimos tiros e explosões”, disse Guarulla à agência Associated Press.

O gabinete do procurador-geral da Venezuela disse numa rede social que estava investigando o incidente e que 14 carcereiros também ficaram feridos.

A Venezuela tem cerca de 30 prisões, muitos dos quais sofrem superlotação e são dominados por quadrilhas que traficam armas e drogas.

O sistema prisional, construído para receber 16 mil presos, tem estimados 50 mil detidos, segundo o Observatório de Prisões Venezuelanas, que monitora as condições nas prisões.

O saldo de mortes foi o maior na Venezuela desde um motim numa prisão em 2013, no qual 61 pessoas morreram.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati