Operação desencadeia prisões de suspeitos de pedofilia em 18 estados e no DF

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

15 de outubro de 2014

Brasil

A Polícia Federal desencadeou, hoje (15), uma operação de combate à disseminação de pornografia infantil e abuso sexual de crianças e adolescentes em 18 estados e no Distrito Federal. Mais de 500 policiais federais participam da Operação Darknet, que cumpre cerca de 100 mandados de busca, prisão e condução coercitiva. O objetivo é confirmar a identidade de suspeitos e buscar elementos que comprovem os crimes de armazenamento e divulgação de imagens e abuso sexual na web. Até as 10hs30min ao menos 40 pessoas foram presas.

As informações obtidas durante as investigações envolvem suspeitos em Portugal, na Itália, Colômbia, no México e na Venezuela. Essas informações foram repassadas às autoridades locais.

A investigação foi iniciada há um ano e, nesse período, pelo menos seis crianças foram resgatadas de situações de abuso ou do iminente estupro em diversos locais do Brasil, de acordo com a Polícia Federal.

Nesses episódios, os policiais agiram e evitaram que as crianças permanecessem ou se tornassem vítima, prendendo quatro pessoas. Esta é a primeira vez que uma operação de combate à pornografia infantil, da Polícia Federal, rastreia o ambiente conhecido como Deep Web que é considerado um meio seguro para que os usuários da internet divulguem conteúdos variados anonimamente.

Os policias federais desenvolveram ferramentas que permitiram identificar mais de 90 usuários que compartilham pornografia infantil. Apenas as polícias dos Estados Unidos e da Inglaterra (no Reino Unido) investigaram crimes praticados na Deep Web.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati