Olimpíadas 2016: Estrutura olímpica de canoagem slalom vai virar piscina pública neste verão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

29 de setembro de 2015

O Circuito de Canoagem Slalom, no Complexo Esportivo de Deodoro, será aberto ao público no próximo verão, após servir de palco para um evento-teste entre os dias 26 e 29 de novembro. A medida foi anunciada na manhã de hoje (29) pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que deve providenciar também uma estrutura de lazer com cadeiras de praia, salva-vidas e veículos motorizados de venda de comida [food trucks]. O espaço fica no bairro de Ricardo de Albuquerque, na zona norte da cidade.

Segundo a prefeitura, a decisão foi tomada depois que jovens da região entraram no local, ainda em obras, sem autorização, para usufruir do lago de onde é bombeada a água pela qual as canoas descem o circuito. O prefeito apresentou hoje a estrutura, que está 85% pronta, e acionou pela primeira vez as bombas do canal de treinos dos atletas. Após os jogos, o local vai virar um parque público, chamado Parque Radical, que também incluirá a pista de BMX.

"Uma coisa que a gente queria usar depois das Olimpíadas, a molecada provocou a gente para abrir antes. Então, acabou o evento-teste em novembro, a gente vai abrir para a população usar neste verão", disse o prefeito, que pediu que não haja novas invasões porque a área está em obras e apresenta riscos. O verão começa no dia 21 de dezembro.

De acordo com Paes, ainda estão sendo avaliados os cuidados necessários para a segurança dos frequentadores. O prefeito adiantou, por exemplo, que o nível da água precisará ser mais baixo, já que o lago tem profundidade que chega a 4 metros na parte mais funda. Paes informou que vai anunciar, junto com o ministro do Esporte, George Hilton, um plano para que o local também seja usado para a prática esportiva.

Eduardo Paes ressaltou que a região sempre foi considerada a "porta dos fundos da cidade". "É a área mais necessitada da cidade, e a que tem mais jovens." Além do Parque Radical, o local também terá uma nave do conhecimento, prédio com recursos tecnológicos para atividades culturais, e uma clínica da família.

O local foi invadido no último dia 20, um domingo ensolarado, por dezenas de adolescentes e jovens de bairros da região, que pularam os muros e entraram na piscina. A polícia e militares do Exército foram chamados por trabalhadores que estavam na obra, segundo jovens que estavam lá no dia e assistiram hoje ao anúncio de que o local vai se tornar área de lazer antes dos Jogos. "Saímos correndo e pulamos o muro", contou Stefane Soares, de 15 anos.

Flavio Araújo, de 16 anos, disse que os jovens dos bairros vizinhos convivem com a violência e, muitas vezes, deixam de frequentar áreas de lazer com medo de tiroteios e crimes. Ele espera que os Jogos Olímpicos façam a população prestar mais atenção na região: "Vai ficar muito visível agora onde a gente mora. Isso aqui ninguém conhecia, se perguntasse, e agora vai conhecer. Aqui não entrava um repórter. Morria, e ninguém sabia", afirmou Flávio, que vê com desconfiança a possibilidade de os Jogos melhorarem a situação de violência em Ricardo de Albuquerque.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati