Obama defende participação do Brasil na busca de soluções para a crise mundial

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

12 de novembro de 2008

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva conversou, por volta das 21h30 UTC de ontem (11), por telefone, com o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, que retornou um contato que já havia sido feito pelo governo brasileiro. Durante a ligação, Obama disse que o Brasil deve fazer parte do grupo de países que busca alternativas para superar a crise financeira mundial e aceitou o convite para visitar o país, em data ainda a ser definida.

Na conversa de quinze minutos com Lula, que se encontra em viagem à Itália, Obama afirmou, segundo a assessoria da Presidência da República, que temas como a crise financeira não podem ficar restritos a um pequeno grupo de países.

Lula disse a Obama que é necessário ter maior diálogo entre Brasil e EUA sobre a Organização das Nações Unidas (ONU). O presidente eleito dos EUA reconheceu o Brasil como ator fundamental na América Latina, especialmente em relação à reforma do Conselho de Segurança da ONU.

De acordo com a assessoria de Lula, Obama demonstrou conhecimento sobre o Brasil, em especial sobre programas sociais, economia e energia renovável.

O presidente eleito do EUA informou a Lula que não vai estar em Washington no próximo sábado (15), quando será realizada a reunião do G20. Na conversa com Lula, Obama também lembrou que foi aluno do ministro da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger.

Fontes