Obama considera ataque virtual à Sony "vandalismo" e não ato de guerra

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

21 de dezembro de 2014

Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou (21) hoje que o ataque virtual à Sony Pictures foi "cibervandalismo", e não um ato de guerra. "Não creio que tenha sido um ato de guerra. Penso que foi um ato de cibervandalismo com custos elevados. Levamos o assunto muito a sério", declarou o presidente, em entrevista à emissora CNN, que divulgou antecipadamente trechos da conversa.

No fim de novembro, o grupo Sony Pictures foi alvo de um ataque reivindicado pelo grupo de hackers Guardiães da Paz (GOP). Durante o ataque, diversas informações foram roubadas. Ameaças de ataques terroristas também foram feitas, caso o filme Uma Entrevista de Loucos, comédia satírica sobre um complô fictício da CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos, para assassinar o líder norte-coreano Kim Jong-un, seja exibido.

O ataque forçou a Sony Pictures a cancelar a estreia do longa. Washington acusa a Coreia do Norte de ser responsável pelo ataque. O governo norte-coreano desmentiu qualquer ligação com o ocorrido e propôs um inquérito conjunto entre os dois países para investigar o ataque virtual. Washington rejeitou a proposta.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati