O Robot "Zoe" detecta vida no Deserto de Atacama

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de março de 2005

Zoë, um robot de 4 rodas construído pelo Carnegie Mellon’s Robotics Institute, é o primeiro autómato a descobrir vida. Embora a presença de vida no Chileno Deserto de Atacama não constitui surpresa, Zoe é mais um passo no esforço de conceber sistemas autómatos para encontrar vida em Marte.

Zo&euml, nome que vêm da palavra em Grego que significa vida, faz parte do projecto de 3 anos Projecto vida no Atacama no Astrobiology Science and Technology Program for Exploring Planets (ASTEP). Foi especificamente concebido para funcionar por controlo remoto ou autonomamente.

A vida que Zo&euml foi capaz de detectar veio de 4 elementos. Zoë detectou sinais de clorofila, DNA e proteínas, que são fortes indicativos de vida. Os cientistas conseguiram visualizar vida a partir das imagens recolhidas por Zoë. O projecto foi apresentado esta semana na 36ª Conferência Lunar e Planetária em Houston, Texas. O estudo foi liderado por Nathalie Cabrol, uma astrónoma do Ames Research Center na NASA.

Uma das novas funcionalidades importantes desenvolvidas para Zoë é um fluorescence imager na sombra sob o seu umbigo, que pode ser utilizado durante o dia. Esta ferramenta procura vida baseada em clorofila que de outra forma seria detectável á luz do Sol. Zoë também transporta um espectrómetro que pesquisa clorofila utilizando luz visível e luz infravermelha

Zoë procurou sinais de vida em zonas costeiras e no interior do Deserto de Atacama entre agosto e outubro de 2004. Foi controlado a partir de Pittsburgh, Pennsylvania enquanto uma equipa no terreno o seguiu para verificar o seu trabalho.

Com estudos que sugerem a existência de vida em Marte, o novo sistema poderá ser implementado brevemente.

Fonte

Ver também