OTAN teme que as falhas da Rússia na Ucrânia tornem Putin mais perigoso

Fonte: Wikinotícias
Nota: Atualizado em 6 de outubro. Para maiores informações veja o histórico.

23 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Autoridades ocidentais de alto escalão estão cada vez mais alarmadas com o fato de as perdas da Rússia na Ucrânia estarem tornando o presidente Vladimir Putin mais perigoso, alguns chegando a compará-lo a um animal enjaulado pronto para atacar.

As advertências, de Washington e Bruxelas, surgem quando novas estimativas de inteligência sugerem que até 20% das tropas russas enviadas para a Ucrânia foram mortas, feridas ou capturadas enquanto a Ucrânia luta contra Moscou até quase parar.

“Não sei se você pode ir tão longe [a ponto de dizer] um impasse, mas está claro que depois de um mês, a Rússia não alcançou quase nenhum de seus objetivos estratégicos”, disse um alto funcionário da Otan, que falou a repórteres na quarta-feira, na condição de anonimato.

“Eles estão parados em Kiev. Eles estão parados em Kharkiv. Eles estão parados em Chernihiv”, disse o funcionário.

O preço no campo de batalha tem sido alto.

A Otan diz que, com base na inteligência da Ucrânia e em suas próprias observações, incluindo informações divulgadas acidentalmente por Moscou, de 7.000 a 15.000 soldados russos foram mortos em batalha.

Quando soldados feridos, capturados e desaparecidos são contabilizados, o número de tropas russas retiradas do campo de batalha está entre 30.000 e 40.000, acredita a aliança.

Mas as autoridades ocidentais alertam que, em vez de recuar, Putin decidiu responder com ainda mais brutalidade e táticas que lembram uma era anterior.

“Eles estão obtendo mais resultados no sul, mas o preço disso é absolutamente horrendo”, disse o alto funcionário da Otan, acusando Moscou de tentar bombardear a cidade ucraniana de Mariupol até a submissão.

“O que eles fazem é a Segunda Guerra Mundial, técnicas de 70 anos”, disse o funcionário. “Para chegar a esse extremo, você precisa ser encurralado e pressionado a quebrar todas as regras morais humanas para chegar a tal brutalidade.”

O funcionário alegou ainda que o fracasso da Rússia em subjugar rapidamente a Ucrânia está alimentando um suposto "ódio" de Putin pelos valores ocidentais. “A aliança está absolutamente em risco”, disse o funcionário.

Há uma preocupação crescente de que Putin possa recorrer a armas de destruição em massa, sejam elas nucleares, químicas ou biológicas.

“A Rússia deve parar com seu sabre nuclear. Isso é perigoso e irresponsável”, disse o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, a repórteres em Bruxelas na quarta-feira, antes de uma reunião extraordinária de chefes de Estado da aliança.

“Qualquer uso de armas nucleares mudará fundamentalmente a natureza do conflito”, disse Stoltenberg. “A OTAN está lá para proteger e defender todos os aliados, e transmitimos uma mensagem muito clara à Rússia de que a guerra nuclear não pode ser vencida e nunca deve ser travada.”

Putin colocou as forças de dissuasão nuclear da Rússia em alerta máximo apenas três dias depois que os tanques russos entraram pela primeira vez na Ucrânia, e algumas autoridades russas sugeriram o uso de armas nucleares táticas, se necessário.

“Se é uma ameaça existencial para o nosso país, então pode ser usado de acordo com o nosso conceito”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, ao canal de notícias a cabo norte-americano CNN na terça-feira.

Autoridades de defesa dos EUA disseram no início desta semana que até agora não viram nenhum movimento da Rússia que os levasse a mudar a postura de dissuasão nuclear de Washington.

Mas os EUA expressaram crescente preocupação com a possibilidade de a Rússia usar armas químicas.

“Acho que é uma ameaça real”, disse o presidente dos EUA, Joe Biden, a repórteres na quarta-feira em Washington, antes de deixar a Casa Branca para participar da cúpula da Otan em Bruxelas.

A Otan disse na quarta-feira que a aliança estava se preparando para dois cenários igualmente assustadores.

“Uma é o que é abertamente chamado de operação de bandeira falsa - isso seria um acidente em uma fábrica de produtos químicos”, disse o alto funcionário da Otan, apontando para as grandes quantidades de amônia, nitratos e outros produtos químicos agrícolas na Ucrânia.

“Se houver uma liberação maciça desses agentes, é muito perigoso para a população”, acrescentou o funcionário, alertando que nuvens químicas podem colocar em risco outros países da região.

Mas a Otan também está preocupada que a Rússia possa jogar a cautela ao vento e usar mísseis ou projéteis para atingir a Ucrânia com neurotoxinas altamente letais.

“Quando você os usa, eles são tão característicos que a atribuição é imediata”, disse o funcionário, acrescentando que a maior questão para as autoridades de defesa ocidentais é se a Rússia vai querer ficar abaixo do limite de atribuição das armas que libera.

Fontes